Slideshow

04/12/2019 11:19 portalpopline.com.br

“Me assumir cantor é tirar um peso das costas”, diz Thiago Fragoso em entrevista ao lançar música

Ele já é superconhecido pelo público como ator e eventualmente apresentador, mas a música também é uma grande paixão de Thiago Fragoso! Desde o programa “Superstar”, em 2017, o artista já mostrava toda a sua paixão pelo canto, mas foi em 2019, que apesar de uma leve insegurança, ele decidiu se lançar profissionalmente como cantor. Embalado pelos acordes do rock, Thiago lançou o seu primeiro single, “Recomeçar” e anunciou a estreia de 10 músicas inéditas em 2020. “É um momento especial. Eu compus essa música há muito anos, mas ironicamente ela é muito atual. Tem tudo a ver com o mundo que a gente vive. Ela está muito linkada com o que vivemos, é uma música idealista, fala de um mundo sem preconceitos, onde a gente pode amar e ser amado sem taxações”.

“Recomeço – o começo no fim de ano”

O final de ano inevitavelmente é uma época de balanços e reformulações de ciclos, portanto, nada mais oportuno do que se lançar em uma nova carreira justamente com uma canção chamada “Recomeçar”. Valendo-se desse raciocínio, perguntamos a Thiago se era esse mesmo o intuito. “Foi proposital mesmo. Foi o tempo de terminar a parte musical do disco. Queríamos lançar depois do meu show no Rock In Rio e saberíamos que ficaria pro final de ano. É meio que uma energia que eu jogo pro ano que vem, quando virão as outras músicas, um total de 10 que lançaremos no próximo ano”, respondeu. 

Participação no “Popstar” e fôlego para a música

Mesmo consagrado da dramaturgia, Thiago revelou que desde criança nutria um amor pelo música, mas por muito tempo ficou inseguro sobre assumir essa nova faceta para o público: “Na verdade foi uma sensação de tirar um peso das costas porque sempre foi uma coisa que eu queria fazer. Comecei a cantar com 7 anos no coral, o primeiro espetáculo que eu fiz na vida foi um musical, depois eu fiz mais duas obras. Quando fiz um intercâmbio nos Estados Unidos aprendi a tocar tuba, aí eu tive até uma banda, meio que um Glee Club – cantávamos, fazíamos arranjos com piano, então a música sempre fez muito parte de mim. Quando voltei dos Estados Unidos, eu criei uma banda, depois ela se desfez. Agora, depois de amadurecer como pessoa, de ter uma carreira como ator, me sinto seguro para me lançar como cantor. Porque não tem nenhuma possibilidade de eu deixar de ser ator e posso investir sem medo nos projetos pessoais. Não sou nem um garoto, tenho 38 anos, minha carreira, graças a Deus, já está consolidada como ator”. 

O processo criativo

Thiago revelou que a maior parte do seu trabalho e autoral e explicou como é o seu processo criativo no universo musical: “com relação às composições, tem algo que difere muito do trabalho do ator. Muitas vezes o ator não está dizendo algo que necessariamente ele criou. É um texto de alguma outra pessoa. Aí ele cria em cima disso, vai fazer o personagem, mas aquele discurso não veio dele. Mas quando falamos de composições, aquilo vem de mim, vem da minha alma, é algo extremamente meu – minhas angústias, meus anseios, vontades, frustrações… É sair um pouco daquela zona de ator, do tipo: ‘O Thiago ninguém sabe quem de fato ele é porque é ator, mas agora o público vai começar a conhecer esse cara que é artista e que cria o seu próprio discurso através da música’. O processo criativo vem de muitos lugares diferentes. Por ser ator, eu tenho esse hábito de empaticamente sofrer as dores do outro, você tem um processo de empatia por todos os personagens que você faz. Então, quando vou escrever uma música eu penso numa história, com o que posso fazer daquilo”.

Influências musicais

Apesar de realizar um trabalho com uma pegada predominante de rock, Thiago revela que as suas influências são múltiplas: “Eu não recebi o rock dos meus pais. O Rodrigo, que é meu irmão, que toca duas guitarras comigo e com quem gravei no álbum, que me apresentou o rock. Descobrimos que gostávamos daquilo. A banda de rock brasileira que mais me influenciou é a Legião Urbana, então eu tinha muito apresso pelas letras quase alucinógenas de Renato Russo, que era um poeta brilhante. E eu gosto do soul, tipo Stevie Wonder, sempre ouvir grupos ” a capella”, tipo Boys II Men. Todas as minhas músicas tem muito backvocals e eu faço todos eles. Então, eu tive uma formação musical muito sólida por conta dos meus pais, mas o rock se tornou predominante na minha vida”.

Álbum à vista?

Após o lançamento do 1° single, ficamos, é claro, curiosos com os próximos passos do cantor! E vem mais música por aí: “Eu estreio uma novela no final de janeiro, então, como tenho várias datas batendo, estamos definindo as datas de lançamento das outras músicas. Eu regravei “Podres Poderes”, de Caetano Veloso, que foi a primeira música que cantei no “Popstar”, era simbólico trazer isso pra esse momento. Foi a primeira música que me fez me apaixonar por Caetano, tem duas músicas do meu irmão Rodrigo, dele que trouxe os Beatles lá pra casa e ele sempre foi músico! É um cara que sempre esteve nessa história. Ele é um grande compositor, então eu quis trazer músicas dele. Todas as outras são letras e músicas minhas”.

Conciliar as carreiras

Sabemos que conciliar duas carreiras não é uma tarefa fácil e então perguntamos: ‘Com a novela, como ficará a agenda musical?’ E Thiago responde: “Parece que tudo acontece no mesmo tempo, mas na verdade as coisas não assim. Vamos supor que eu esteja fazendo um personagem que exija eu ficar 16 horas de segunda a sábado no Projac, até domingo eu poderia ter tempo de fazer um show. Além disso, geralmente não emendamos uma novela na outra. Temos esse tempo para desapegar do personagem, respirar, refazer as suas aspirações… Esse período pra mim é perfeito pra fazer show. Como, ainda bem, não podemos prever o futuro, vamos mostrando essas músicas aos poucos, construindo esse discurso”…


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo